8 dicas para criar filhos responsáveis

organização kids

Cruzei-me com estas dicas da SBie – Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional e fiquei a pensar nelas e o quanto elas têm a ver com a organização, com regras, com rotinas, com tarefas e com dar o exemplo. Criar filhos responsáveis é cada vez mais um desafio de qualquer pai e mãe, e é em casa onde devemos começar.

Independentemente de termos um, dois ou quatro filhos, criar tarefas em casa e partilhá-las em família, definir regras de convivência, são cada vez mais importantes para transmitir os valores de entreajuda e de responsabilidade aos nossos filhos.

8 dicas para criar filhos responsáveis:

  1. Seja o modelo
  2. Peça que todos participem das tarefas do lar
  3. Ensine o seu filho a cuidar do que é dele
  4. Mostre que é importante cuidar do que é de todos
  5. Saiba quais as tarefas para cada idade
  6. Não faça pelo seu filho o que é tarefa dele
  7. Converse com o seu filho e estabeleça regras
  8. Prefira elogiar as atitudes do que as características natas

Organização e criar filhos responsáveis

Das dicas que li em cima, é claro para mim que a organização tem um papel crucial nesta tarefa de criar filhos responsáveis. Destaco:

  1. Pedir que todos participem nas tarefas do lar, adequando as tarefas a cada idade desde pequenino é que se torce o pepino já diz o ditado e o certo é que se desde pequenino o seu filho perceber a importância de participar nas tarefas de casa, vai crescer não só a saber fazê-las como também a entender que é normal participar das tarefas de casa. O nosso papel como pais é preparar os nossos filhos para o futuro, para serem indivíduos independentes.
  2. Cuidar do que é dele e do que é de todos – nunca me canso de explicar aos meus filhos que têm de cuidar dos seus pertences, acarinhar o que é deles e respeitar os objetos dos irmãos, da família e dos amigos. Não podem ir por aí partindo coisas, nem estragando só porque lhes apetece. Por isso, a importância de terem o quarto em ordem, criar sítios para os seus brinquedos, arrumar depois de brincar, etc.
  3. Não fazer as tarefas que são do seu filho – as vezes custa muito, mas vai custar mais quando o seu filho crescer e não souber fazer nada porque nunca lhe demos essa oportunidade. Não dê o peixe, ensine a pescar.
  4. Estabelecer regras e dar o exemplo – como pais temos de liderar pelo exemplo, não podemos dizer uma coisa e fazer outra. E estabelecer regras em casa é um dos princípios para criar respeito e limites. Porque na vida real também é assim. Mais tarde vão viver em sociedade e vão existir regras, não quero criar filhos que crescerem a pensar que podem fazer o que quiserem e desrespeitar as regras só porque lhes apetece. (Atenção, estou a falar de regras de convivência em sociedade, claro que quero que eles saibam defender-se, lutar pelo que não acham justo ou mesmo ser criativos)

Creio que naturalmente fazemos tudo isto. Mas não é tarefa fácil. Haverá sempre dias piores, birras e gritos, mas no fim, o importante é que eles percebam agora e mais tarde – quando forem adultos, quando entrarem no mercado de trabalho, quando tiverem a sua própria família – a importância de terem valores fortes que os orientem na vida e os ajudem a serem felizes.

Gosto de pensar que estou a contribuir para tornar os meus filhos em pessoas com princípios fortes como o respeito, a humildade, a coragem, a gratidão, a lealdade, o amor ao próximo, o espírito de entreajuda, a confiança, a bondade, a perseverança, e tantos outros. Sem medos, porque não somos perfeitos. Pelo menos ficar descansada de saber que fiz o meu melhor.

Também luta diariamente para criar filhos responsáveis?

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply