Férias na Neve 2018

Já estamos de regresso a casa. Back to reality. Depois de 1 semana de férias em Andorra, a fazer ski em Grandvalira, no setor El Tarter. Foi a 5ª vez que fomos para Andorra, e a 1ª neste setor. Fazer neve exige planeamento. As férias são sempre marcadas com meses de antecedência para garantir alojamento na estância que queremos a preços razoáveis. A marcação é feita via a nossa  habitual agência, especialista em férias na neve Sporski.

Já falei aqui no Blog sobre férias na neve. Para a nossa família passou a ser uma viagem obrigatória a partir do momento em que apresentamos aos miúdos este mundo. Eles gostam e com os anos estão cada vez mais à vontade a fazer ski. Os mais velhos, hoje com 13 e 16 já fazem pistas pretas na boa. Eu com o tempo fui ganhando respeito (e algum medo) e agora fico-me pelas azuis e algumas vermelhas soft.

Destas nossas férias, partilho alguns pontos positivos e negativos, e algumas dicas:

A estância. Grandvalira é enorme. São mais de 200km de pistas. Muitas bastante acessíveis a pessoas “normais” como eu, e outras mais fortes para os radicais. Houve pistas que fiz apenas uma vez, e não deu para repetir. Em média, fazia uns 10km por dia (só da parte da manhã). As vistas são lindas. Temos vários sectores numa única estância, todos ligados por meios mecânicos. Pode começar numa ponta e fazer toda Grandvalira num único dia. Tivemos muita sorte com o tempo. Apanhamos sol todos os dias. No segundo até tivemos direito a neve perfeita porque tinha nevado na noite anterior!

O Jardin Nieve – o mais pequenino foi pela primeira vez. Para podermos fazer ski durante o dia, tivemos que arranjar um lugar para o deixar. A opção foi o Jardin Nieve, que é para crianças a partir dos 3 anos. Neste local as crianças começam a interagir com neve, nomeadamente, colocam pela 1ª vez os skis. Para crianças mais pequenas (ou caso não queira que o seu filho faça ski), existe a opção da Creche para crianças a partir dos 12 meses. Podem ficar parte do dia ou dia inteiro, podem levar comida ou comprar a refeição lá, dormem a sesta e brincam com as educadoras. É uma excelente opção e assim deixa de ter a desculpa de que não vai à neve porque tem um bebé. Se isto lhe agradar, escolha estância onde exista este tipo de serviço, pois não existe em todos os locais.

 

Alimentação – Comparando com Portugal, Andorra é cara. E mais ainda, porque ficamos com a sensação que pagamos muito e não comemos nada de jeito. Ficamos num aparthotel, e tínhamos cozinha. Por isso, o pequeno-almoço era tomado em casa. Para quem ficar em El Tarter, sugiro irem até Canillo ao supermercado. Em El Tarter há um super pequeno e estupidamente caro (do tipo 5€ por uma pacote de Cheerios). Não vale a pena. Façam os 3km de carro e abasteçam no supermercado da cadeia Eroski. O almoço é sempre nas pistas. E para isso levamos sempre já comprados os menus de Lisboa. Este ano apercebi-me que compensa e bem. A refeição incluía: entrada (salada ou sopa), prato (variedade de grelhados, pizzas, massas, etc), sobremesa, bebida (grande variedade) e pão. Pagamos 13.8€ por cada menu de adulto e 10.4€ por menu de criança. Para além do lado prático da coisa (cada um escolhe o que quer comer) também a poupança. O que pagamos por um menu com tudo isso, era o preço de uma pizza. Cheguei a ver uma senhora à minha frente pagar 6.50€ por uma sopa. Dica: levem as refeições pagas de Lisboa. É mais prático e mais económico. Os jantares eram feitos fora. E aí El Tarter deixa a desejar. Já ficamos em locais com maior variedade e qualidade, por exemplo, Arinsal.

Alojamento – Voltamos a escolher um Aparthotel. Temos optado por este tipo de alojamento, porque para uma família numerosa (6 pessoas) acaba por ficar mais em conta, e também porque nem sempre os hotéis têm quartos familiares. E está fora de questão ficarmos em 2 quartos separados (só se forem comunicantes). Ficámos nos Apartamentos Pierre et Vacances. O nosso até era um tanto quanto espaçoso. 2 quartos. 1 casa de banho. Kitchenette. Sofá cama na sala. Varanda. Mesa de jantar. Não tinha muita arrumação para o sofá cama da sala, mas dava-se um jeito. Os apartamentos são quentinhos. O nosso tinha vista para a montanha, o que é agradável. Tem estacionamento coberto, mas é pago. 9€ ao dia. Optamos por estacionar no parque da Telecabina onde não pagamos. Desde que não neve, o que foi o caso, é uma boa opção. À volta do aparthotel é zona azul, e pagasse das 8h as 20h. No preço do quarto tem wifi incluído – muito bom! – e os guarda skis – junto ao lugar de garagem. O que para mim foi muuuuito mau, e creio que só por isso, posso não voltar a ficar aqui foi a água quente dos banhos. As águas são aquecidas por acumulador. O que é que isto significa? Que no 1º dia tomaram banho 3 pessoas com água quente. O meu marido e os mais velhos. Quando foi a minha vez já não havia água quente. O meu filho de 7 tomou de água fria (coitado!) e o bebe ficou por tomar. Eu tive de esperar para regressar de jantar para tomar banho. Pior de tudo, quando liguei a reclamar, o Sr. da receção disse-me que a caldeira dá para 12 minutos de água quente, suficiente para 6 pessoas tomarem banho. Fiquei possessa! Depois desse dia, gerimos as coisas. Não havia muito a fazer. Mas o meu banho descansado (com mais de 2 minutos) ficou para o regresso a Lisboa.

Aluguer de Equipamento e Guarda skis – o aluguer foi feito de Lisboa e foi só preciso ir à loja para levantar o material. Fica aqui uma dica sobre guardar os skis. Apesar de termos guarda skis no aparthotel, optamos por alugar no topo de estância, mesmo junto à escola. Não somos obrigados a isso. Foi uma opção nossa depois de vermos que teríamos de andar com o material todos os dias do aparthotel para a telecabina (350metros) e de regresso ao final do dia. Batons, skis, botas, capacetes e mochilas. E com duas crianças pequenas, teríamos de carregar os nossos e os deles. Esta escolha não é barata mas vale a pena. Alugamos 1 cacifo por 5 dias. 80€. Conseguimos arrumar todo o material (4 adultos e 2 crianças) e ainda os capacetes. O cacifo é aquecido. Muito importante para secar as botas de um dia para o outro. Para além disso, os cacifos tinham uma zona muito confortável para calçar e descalçar as botas e casas de banho. Os cacifos eram abertos com o forfait ou por código. Não há chaves. Um plus que permite a qualquer pessoa da família ir ao cacifo quando precisar.

Em resumo:

  • Grandvalira é uma excelente opção porque tem kms e kms de pistas para todos os níveis.
  • Não desista de fazer neve porque tem crianças pequenas, existem opções onde os pode deixar o dia inteiro ou meio dia.
  • Aparthotéis são boas opções para famílias grandes com crianças.
  • Leve as refeições em pista compradas de Lisboa.
  • Invista num cacifo (aquecido) para guardar os skis e o material.

De resto, foi muito bom. Adorei estar em família, com amigos. De estar com os meus filhos (mesmo que me tirassem do sério algumas vezes). De fazer desporto. Descansar a cabeça. Desligar do trabalho. Para o ano há mais. Agora só penso no bom tempo e na praia!

Espero que tenham gostado deste artigo e que de alguma forma vos possa ajudar. Se tiverem duvidas, podem sempre enviar mensagem via Facebook ou Instagram, ou e-mail para conxitamariablog@gmail.com.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply