Poupe na hora de organizar a festa de aniversário do seu filho

Adoro organizar festas. Nem sempre consigo poupar em tudo, mas ao longo dos anos já aprendi alguns truques para simplificar e poupar aqui e ali, e poder ter tudo o que quero nas festas que organizo. Sim, porque quando começamos a fazer contas a tudo, facilmente se gasta uma pequena fortuna.

Se brevemente vai ter de começar a pensar na festa do seu filho ou na sua própria, espreite algumas das coisas que fui fazendo ao longo dos anos, e outras que entretanto fiquei a conhecer e que brevemente vou pôr em prática, para poupar na hora de organizar uma festa de aniversário. (E quando digo poupar, é em dinheiro, porque muitas das coisas exigem mais tempo de nós para as podermos concretizar.)

  1. Escolha um local que não tenha custos – Apesar de hoje em dia haver inúmeras soluções de espaços para festas onde não precisamos de nos preocupar em tratar da comida nem fazer a limpeza no final, estes sítios têm habitualmente custos elevados e é possível que este item lhe coma grande parte do orçamento. Se não tem a possibilidade (ou não quer) fazer em casa, pode optar por fazer em sítios mais em conta (e fora do comum) ou em espaços gratuitos. Poderá aproveitar o espaço da sala de condomínio do seu prédio ou fazer num jardim público, na casa dos avós ou de alguém conhecido, aluguer um espaço numa associação ou no quartel de bombeiros. Existem escolas que durante os fins-de-semana alugam os seus espaços para festas. Estes sítios são habitualmente mais em conta, mas terá o trabalho de levar tudo e limpar no fim. Se fizer num local público, verifique se precisa de autorização camarária. Se estiver com tempo, e não quiser abdicar de um espaço mais exclusivo, a minha sugestão é que pesquise bastante e peça vários orçamentos. Existem muitos espaços e locais de festas para todos os gostos e bolsos.
  2. Reduza a lista de convidados – A tendência é sempre para começar com uma lista gigante de convidados. As contas são fáceis: quantos mais convidados, mas custos. A minha sugestão é que faça uma primeira versão e que trabalhe sobre essa lista. Se for uma festa de crianças, talvez só faça sentido convidar os adultos que têm crianças, pois duvido que os outros tenham vontade de estar uma tarde toda a ouvir crianças a correr e a gritar de uma lado para o outro. Se for um espaço infantil, a coisa já fica mais fácil, pois só precisa de contar com as crianças mesmo. Estabelecer um orçamento por convidado pode ajudar na hora de saber o numero de exacto de pessoas que pode convidar.
  3. Envie convites eletrónicos – Se é daquelas pessoas que ainda entrega convites físicos, fique a saber que é possível enviar convites igualmente bonitos em formato electrónico. Há vários anos que utilizo a aplicação de eventos do Facebook para enviar convites, pelo que deixei de entregar convites físicos, principalmente porque em muitos casos nem sequer ia estar com a pessoa antes da festa. Pode também utilizar o e-mail ou enviar um sms. Hoje em dia, os convites em papel são mais utilizados quando convidamos os coleguinhas da escola. Que tal pedir o e-mail de todos os papás e enviar um e-mail com o convite? Se fizer num local de festas, é habitual eles oferecerem os convites em papel, pelo que nesse caso não está a ter custos. Pense que ao deixar de enviar convites físicos não está só a poupar no seu bolso, mas também é mais ecológico.
  4. Estabeleça um orçamento – Um dos primeiros passos na organização de uma festa é estabelecer um orçamento. Antes de começar a ver locais, decorações e comprar a comida, é fundamental que decida o que quer gastar com a festa. Ao longo dos anos tenho conseguido reduzir quase em metade os gastos com a festa do meu filho. Habitualmente começo por fazer num ficheiro em Excel ou num caderno, uma lista de todas as despesas com um valor máximo ao lado de cada item. Logo aí, fico com uma ideia geral dos custos da festa. Se estiver ok, valido. Se não, começo a fazer os cortes em itens. É fundamental que peça vários orçamentos e que compare antes de tomar decisões. Existem muitas lojas online onde pode comprar com tempo e a bons preços, ou também vários lojas físicas dedicadas aos temas das festas onde pode encontrar uma ou outra peça de decoração. Na hora de comprar pense bem se é preciso comprar tudo para a festa com os bonecos da patrulha pata ou das princesas. Pense em investir em peças mais duradouras ou que possa utilizar novamente, em vez de gastar todo o seu orçamento em talheres e copos de plástico.
  5. Faça as suas próprias decorações – Já tem o tema da festa? Faça um pesquisa no Pinterest para se inspirar. Nem vai acreditar na quantidade de ideias simples e baratas que pode encontrar nesta plataforma. Pense fora da caixa e não se limite ao pratos e decorações com os bonecos habituais, alias, a minha sugestão é que não compre pratos, toalha, copos e guardanapos do tema da festa. Para além de serem caríssimos, no final da festa vai tudo para o lixo.  Pode escolher uma toalha simples, de uma cor única e que depois pode utilizar noutras festas. As lojas dos chineses ou lojas online são locais muito bons para encontrar peças de decoração de festas a preços acessíveis. Por exemplo, na festa da Patrulha Pata comprei taças de cão em forma de osso para servir a comida. Um detalhe que não foi muito caro (4 taças por 10 euros) e que ficou espetacular na decoração da mesa da festa. Pode sempre utilizar muuuitos balões para decorar. Nem sempre é o mais em conta, especialmente se tem que encher de hélio, mas é uma boa opção se quer dar cor e encher o espaço. Pode comprar os balões e uma bomba de hélio e encher em casa, em vez de mandar encher numa loja.
  6. Faça o bolo de anos – Se tem jeito para a coisa, eu sugeria que fizesse o bolo de anos, mas se é cá das minhas, que não nasceu para as artes pasteleiras, pode fazer três coisas: pede a alguém para fazer, compra um bolo ou arrisca. Existe sempre aquela avó ou tia que tem imenso jeito para fazer doces e que não se importará de fazer o bolo. Existem também lojas de festas onde é possível comprar formas e todos os acessórios que precisa (e que pode depois utilizar para outros bolos) e imensos tutorias de bolos na Internet. Pode também comprar a base do bolo, por exemplo, um pão de ló e depois decorar ao seu gosto. Por último pode sempre optar pela solução mais fácil: encomendar o bolo. Acredite que pode ter um bolo lindo por preços acessíveis. É uma questão de procurar e comparar. Apesar do bolo ser um ponto central numa festa de anos, não se esqueça que na maioria dos casos, já todos estarão cheios no final da festa como para comer uma grande fatia de bolo. Não precisa por isso, de encomendar um bolo com 4 andares ou gastar metade do orçamento num bolo de cake design. Simplifique. Este ano, para a festa de anos do Gabriel, encomendei um bolo sem bonecos (que habitualmente são custo extra e pago ao boneco) e depois comprei os bonecos de plástico da patrulha pata que utilizei para decorar o bolo. Resultado: depois da festa o meu filho ficou com os bonecos e brincou muito com eles.
  7. Prepare toda (ou quase toda) a comida da festa – Já fiz festas em que fiz parte da comida e a outra parte foi encomendada. Á medida que os anos passam, tenho optando por preparar grande parte da comida e não gasto tanto tempo assim. É uma questão de organização. Simplifique ou pelo menos não complique. Escolha comida prática e de fácil consumo. Comida em doses individuais, já servidas em copos, ou finger food (salgadinhos, wraps, fruta, etc) são perfeitas para festas. Por um lado é mais fácil para os convidados, mas também poupa em pratos e talheres. Pesquise e faça uma lista da comida que quer servir. Espreite o meu álbum de Comidas para Festas para se inspirar. Se tiver oportunidade, faça as compras em lojas como a Makro ou Recheio, onde consegue comprar maior quantidade a preços mais acessíveis ou aproveite promoções para ir comprando os itens com prazo maior como bebidas, batatas fritas, produtos congelados, etc. Comprar tudo vai sempre aumentar o orçamento, pelo que tente não exagerar nas compras.  Quando fôr as compras, leve uma máquina para marcar os preços, assim consegue ir controlando os valores e não apanha uma surpresa na hora de pagar.Não só irá gastar mais, como também depois poderá ter que deitar comida fora. Tem uma amiga ou prima que faz uma quiche de chorar por mais? Que tal pedir que traga uma? Ou pedir a todos os convidados para trazerem algo para a festa?
  8. Planeie as atividades da festa – Vai ter 20 crianças em casa e não sabe como as entreter? Pode contratar alguém para tomar conta delas, o que implica custos, ou pode optar por preparar alguns jogos. Os jogos tradicionais funcionam muito bem e não implicam grandes organizações: corrida de sacos, colher com batata, escondidas, corrida a três pés. O Livro Brincar com Tradição, da Patrícia Pereira, tem mais de 50 jogos para se inspirar. Pode sempre organizar um peddy paper ou caça ao tesouro. Construa pistas e esconda pela casa ou num jardim, depois deixe as crianças descobrirem onde está o tesouro. Tem uma amigo que tem a mania que é Magico? Pergunte-lhe se não se importa de fazer um pequeno espetáculo para as crianças. Tem um familiar que sabe fazer modelagem de balões ou pinturas faciais? Peça para aparecer e fazer uma brincadeiras. Pode sempre optar por colocar alguns brinquedos do seu filho e deixar que as crianças brinquem sozinhas, elas sempre acabam por encontrar formas de se entreterem umas com as outras.
  9. Faça a sua própria pinhata – Esta tradição não é portuguesa, mas cada vez há mais festas em Portugal onde a pinhata faz parte da diversão das crianças. As lojas de festas já as vendem com alguma regularidade, no entanto, a preços um pouco altos, considerando que estamos a  falar de um objeto feito de cartão e que ficará feito pedaços em poucos minutos. Já comprei pinhatas e também já fiz uma Pinhata da Guerra das Estrelas. Esta última deu algum trabalho, mas ficou muuuuito mais em conta do que se tivesse comprado numa loja. Se tem tempo, aposte. É uma diversão garantida para todos os miúdos e quem sabe os adultos.
  10. Junte festas de aniversário – Tem filhos que fazem anos em datas próximas? Primos ou mesmo amiguinhos da escola? Porque não juntar as festas? Se não se importar de partilhar este momento, pode ser uma boa opção para poupar custos. Já não é a primeira vez que oiço de outras mães queixas de que os filhos passam a vida em festa de anos e que são sempre os mesmo sítios. Grande parte das vezes os convidados acabam por ser os mesmos, pelo que até faz sentido juntar festas de aniversário.
  11. Peça emprestado – Precisa de uma piscina de bolas e sabe que a sua prima tem uma? Ou quer utilizar um escorrega que a sua irmã tem? Precisa de uma mesa e cadeiras e os seus pais têm um conjunto guardado na garagem? Haverá sempre alguém que tem um brinquedo ou objetos guardados e que não está a usar. Não tenha vergonha de pedir emprestado. Pode poupar centenas de euros em aluguer de material.
  12. Esqueça as lembranças – Gosto sempre de dar um saquinho no final da festa como agradecimento a cada criança. Se é algo que não dispensa, opte por entregar algo mais duradouro como uma caderno e um lápis, bolas de sabão ou um daqueles vasos com uma semente lá dentro, para que cada criança depois semeie em casa. Pode sempre optar por ter alguma atividade na festa que sirva para a criança fazer a sua lembrança: pulseiras de missangas, pinturas ou mesmo levar os rebuçados que ganhou na caça ao tesouro ou na pinhata.

Sei que é muita coisa, mas aos poucos pode ir cortando aqui e ali. Em 3 anos já reduzi o meu orçamento em 50% e continuo a fazer tudo o que quero para a festa. Na verdade é com a experiência que se vai aprendendo a perceber o que funciona, ou não, o que faz falta ou o que é realmente dispensável. Faça o teste e depois conte-me como correu!

Se tem mais ideias de como poupar na hora da festa, partilhe comigo!! 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply